Fatos CuriososHistoria

Conheça alguns dos melhores snipers de toda a história

Muitas pessoas desconhecem esses verdadeiros heróis, mais hoje iremos te mostrar os melhores, e para quem não sabe para que eles servem, aqui vai, os snipers ou (francos-atiradores), são extremamente necessários e letais para abater inimigos que estão longe do alcance das armas mais comuns em combate. Geralmente são conhecidos por serem extremamente precisos, e capaz de iliminar um inimigo, com um único tiro.

01. Rob furlong

Rob Furlong é um canadense e ex-sniper, detentor de um dos recordes de tiros mais distantes já registrados em combate: 2.430 metros. Ele matou em combate um terrorista da rede Al-Qaeda que estava escondido em um arbusto durante a Operação Anaconda em 2002, no Afeganistão.

Atualmente, Furlong é contratado para treinar equipes de franco-atiradores, em diversas partes do mundo.

02. Chuck Mawhinney

 

Mawhinney, foi um dos snipers americano que serviu durante umas das piores guerras que já existiu, a Guerra do Vietnã. Seus feitos foram conhecidos graças a um companheiro que escreveu suas ações durante o período dos conflitos.

Em 16 meses no Vietnã, Chuck abateu 103 pessoas (todas as mortes foram confirmadas). Se os dados das outras operações forem levados em consideração, o número sobe para 213.

Quando desembarcou nos Estados unidos, ele foi questionado sobre suas ações em combate no Vietnã. Mawhinney simplesmente respondeu: “Eu não fiz nada de especial, fiz apenas o que fui treinado para fazer”.

03. Lyudmila Pavlichenko

Pavlichenko, foi uma das mulheres mais mortal que existiu durante a guerra (Polaco-Soviética). Certa vez, os alemães utilizaram um megafone no meio do confronto oferecendo uma vaga em seu exército para a adversária soviética. Aos 14 anos, Pavlichenko trabalhava numa fábrica de munições e aprendeu a atirar.

Quando a guerra começou, quis defender sua pátria. Mesmo depois de ter demostrado que poderia lidar com tal arma, foi rejeitada no inicio, mas foi aceita após ter feito um teste e mostrado sua capacidade.

Durante a guerra, Pavlichenko teve 309 mortes confirmadas, incluindo 36 snipers do exército inimigo. Ela só foi tirada do campo de batalha depois de ser alveijada por destrossos de um morteiro em seu rosto.

Mesmo afastada do perigo, a militar continuou sendo utilizada para treinar os iniciantes.

04. Carlos hathcock

O jovem Hathcock entrou no exército dos Estados Unidos com apenas 17 anos, e com pouco tempo de serviço militar, ele ganhou o apelido de White Feather (Pena Branca) graças à uma pena que usava em seu chapéu. Ele lutou no combate do Vietnã e lá abateu mais de 93 inimigos (mortes confirmadas), porém o número pode ser muito maior, de acordo com os registros. Ele foi voluntário em diversas missões e seus superiores frequentemente tinham que obrigá-lo a descansar. Graças ao seu alto comprometimento com a bandeira do seu país, o sniper foi homenageado com um rifle que foi rebatizado com o nome de White Feather.

05. Simo Hayha

Hayha, se tornou um dos snipers mais famosos do mundo inteiro, e essa lenda nasceu no ano de 1905 e foi apelidado de “Morte Branca” (ou Valkoinen Kuolema, em finlandês), e conseguiu alcançar o impressionante número de 505 mortes (mortes confirmadas) durante a Guerra Soviético-Finlandesa. Hayha, nasceu em uma fazenda que faz fronteira da Finlândia com a Rússia e acabou se alistado no ano de 1925, assim que os dois países entraram em conflito.

Hayha utilizava um traje inteiramente branco e que facilmente se camuflava na neve. E com uma temperatura que variava entre -20 °C e -40 °C. Os russos investiam recursos em território finlandês para pode encontrar o tal homem, que simplesmente sumia na paisagem. Entretanto, ele foi gravemente ferido na mandíbula em batalha e foi resgatado por seus companheiros, porém parte do seu rosto ficou deformado permanentemente.
(1905-2002 )

Continue Lendo
HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com
Close