Uncategorized

Como esquecer um amor que não deu certo

Ficar apaixonado(a) muitas vezes é bom, correto? Especialmente caso o amor for correspondido, porque de tal maneira tudo fica ótimo. Fica tudo bom até o instante em que a coisa vira “ele(a) não está muito interessado(a) em você”. Após um término ou até mesmo depois de uma desilusão amorosa, bastante gente aparenta possuir uma fórmula infalível: essencial tirar da mente.​
Sabe qual coisa você deve fazer em situações assim? Consegue esquecer? Será que de algum modo tem como não sofrer muito? Bom, o portal io9 perguntou para umas pessoas que possuem moral o bastante para falarem sobre situações de amores não correspondidos.​
A mágica do esquecimento​
[​IMG]
Bom, você normalmente decide retirar uma pessoa do seu coração ou da sua mente? No momento em que seus sentimentos não estão sendo correspondidos ou na ocasião em que a pessoa, por mais que esteja ao seu lado, trata você de um jeito ruim. Óbvio que existem várias razões, porém as já citadas são as mais populares. Em situações assim, você pode se perguntar se é provável possuir um controle sobre o sentimento que você quer tirar da sua mente.​
Que nem o filme “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, onde os personagens ficam passando por uma técnica louca, que é apagar exatamente tudo referente à outra pessoa, como se nossa mente possuísse uma tecla mágica que, quando ativada, desaparecesse tudo e terminasse com o sofrimento. Caso você já tenha assistido ao filme, com certeza você já teve vontade de fazer a mesma coisa.​
Vício​
[​IMG]
Uma investigação na neurologia explicou, há pouco tempo, que qualquer pessoa possui autonomia para decidir se quer tirar da mente um amor. Uma das responsáveis pelo estudo, a antropóloga Helen Fisher, comunicou que seu grupo de trabalho examinou as ações cerebrais de uma pessoa completamente apaixonada.​
Os mesmos perceberam que o amor excessivo liga um lugar do cérebro chamado de núcleo accumbens, relacionado com retribuições e, portanto, com o bem-estar e até mesmo com a obsessão. Para se criar uma comparação, esta área do cérebro que é acionada no momento em que alguma pessoa viciada em álcool está ciente que vai ingerir logo, por exemplo.​
Considerando este motivo viciante, Fisher aconselha que, se você desejar tirar da sua mente alguém, tem que tratá-la igual a um paciente que quer largar uma obsessão e abandonar absolutamente tudo o que consiga fazer com que você se recorde do(a) ex namorado(a), assim como, óbvio, não investigar nada sobre ele(a) nas redes sociais.​
Controlando pensamentos​
[​IMG]
Com certeza é uma coisa bastante difícil, porém jamais é impossível! A pessoa a qual explicou sobre isso foi o psicólogo da Universidade de Oklahoma, que fica nosEstados Unidos, Robert Sternberg. Segundo ele, caso não consiga parar de pensar no(a) ex, fique lembrando de todos os defeitos do(a) mesmo(a).​
Leve em conta que uma relação consegue ter futuro apenas se os dois estiverem conectados e realmente desejarem que dê certo. Caso a pessoa que você ficava nãodeseja estar mais ao seu lado, é um direito do(a) mesmo(a), que deve ser respeitado. Com certeza é a melhor coisa a ser feita, pois de maneira nenhuma iria ser correto só você de cabeça no relacionamento.​
Poderá achar uma outra pessoa, alguma vez foi em sua mente tal coisa? Existem várias pessoas que possam fazer você mais feliz do que a anterior. Mas, é necessário que você fique em alerta para não terminar somente utilizando uma pessoa para preencher o lugar do(a) ex. É bem capaz que a pessoa nova seja passageira e você irá ser obrigado(a) a reconhecer tal coisa.​
Não se esqueça de ficar ocupado(a), pode ser estudando, trabalhando ou realizando algo que não deixe que você se lembre do término. Com certeza auxilia muito. Fique tentando coisas novas e criativas.​
Prevenção​
[​IMG]
O psiquiatra da Universidade de São Francisco, Thomas Lewis, declara que o amor, que nem as bebidas que possuem álcool, é parte de um processamento o qual inclui “envenenamento”, coisa a qual foi confirmada nas investigações de neuroimagem. As análises descobriram que, no momento em que a pessoa está apaixonada, uns lugares do cérebro ficam anulados: os responsáveis pelos pensamentos críticos e pelos efeitos negativos. Aquele ditado “o amor é cego” provavelmente agora faça sentido.​
Lewis pensa que em um futuro próximo vamos ter neurobloqueadores à disposição, na forma de pílulas, com objetivo de não deixar que nós fiquemos apaixonados e do mesmo modo vai acabar com a paixão. De acordo com ele, é provável achar tal coisa, porque existem substâncias que estão em fase de teste para impedir a vontade de consumir bebidas alcoólicas.​
O aviso ótimo para as pessoas que estão querendo tirar da mente uma paixão é que todos os especialistas procurados disseram ao io9 que raramente são perguntados a respeito de como fazer tal coisa. De maneira oposta: aparentemente as pessoas querem saber como manter o amor por mais tempo. Informação: a paixão dura pouco. Sendo assim, logo, você provavelmente irá achar um absurdo ter sofrido tanto por causa daquela pessoa. A melhor coisa a ser feita é esperar um pouco e logo você ficará sem sofrimentos.​
Continue Lendo
HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com
Close